Norte e Centro-Oeste têm mais caloteiros, mostra pesquisa

As regiões com a maior parte da população com as dívidas em atraso são as Norte (31,1%) e Centro-Oeste (26,4%). Na ponta oposta, está o Sul (22,4%).

“No acumulado deste ano tivemos indicadores negativos que levaram ao aumento no número de inadimplentes: a economia esteve em recessão técnica [com o PIB recuando nos dois primeiros trimestres, mas voltando a subir levemente no terceiro], a geração de emprego começou a perder força, a inflação se manteve alta – o que corrói o poder de compra –, a taxa de juros subiu e impactou diretamente os devedores. Ou seja, isso tudo afeta o bolso do consumidor que não consegue honrar seus compromissos”, explica Julio Leandro, superintendente da Serasa Consumidor.

Leia mais