Inteligência Artificial

Inteligência Artificial – o futuro é hoje

A imagem de robôs inteligentes que tomavam decisões próprias povoou a imaginação da população mundial, principalmente depois da década de 70, quando o cinema começou a tratar do tema de forma mais intensa. Contudo, na maioria dos casos as projeções não eram muito positivas, basta lembrar de filmes como 2001 – uma Odisseia no Espaço, O Exterminador do Futuro e Matrix.

A perspectiva passada por essas obras era de que com a criação de uma consciência própria, as máquinas estabeleceriam um grande inimigo a ser combatido, a humanidade. Contudo, a evolução chegou e a Inteligência Artificial (ou IA) já é uma realidade em muitos casos. E os resultados vem sendo o contrário, um auxílio muito grande às pessoas. Claro que o caminho da revolução tecnológica ainda é muito longo, mas imaginar as máquinas como inimigas se mostra claramente obras de ficção.

Segundo especialistas, essa imagem da tecnologia como inimiga é um grande equívoco, hoje se observa que os avanços estão proporcionando grandes benefícios para as pessoas proporcionando melhorias na área da medicina, de serviços e na produção.

A utilização da inteligência artificial já é uma constante. Marco Lagoa, Diretor Técnico da Witec Solutions, explica sobre a mais famosa Watson. “Quando falamos de Inteligência Artificial no mundo da tecnologia é impossível não lembrar do Watson. Esse software criado pela IBM, oferece diversos APIs para que os desenvolvedores consigam criar diversos programas, sistemas e aplicações cognitivas. Essas aplicações incluem a capacidade do software em entender certas emoções, interpretar imagens e textos, ouvir sons e identificá-los e responder de maneira automática. Hoje, a IBM disponibiliza os APIs Watson pela sua plataforma de nuvem, a Bluemix. O Watson representa muito na tecnologia é graças a ele que vemos muitos aplicativos e sistemas de inteligência artificial e poder cognitivo aparecerem cada vez mais”.

Outra forma de IA muito conhecida é a Siri, um assistente virtual comandado por voz, de propriedade da Apple. O recurso foi lançado no iPhone 4S e se tornou um sucesso por auxiliar os consumidores a realizarem os mais variados tipos de tarefas apenas “conversando” com o telefone.

Mas como definir IA, Marco Lagoa explica: “O conceito de inteligência artificial é bem simples: um sistema em uma máquina capaz de reconhecer elementos de palavras, imagens e falas. De início essa tecnologia, era limitada, embora fosse realizada muita fantasia ao redor da AI, robôs como humanos e tudo o que a ficção científica criou. Mas é notável que cada vez mais com o passar dos anos, a Inteligência Artificial vem evoluindo tanto ao ponto de ter capacidades comparadas, realmente, a humana. Isso é muito significativo para a sociedade como um todo, já que esse tipo de inteligência das máquinas pode facilitar muitos trabalhos e, também, agir de maneira significativa no tão importante campo da saúde”.

Entenda melhor o tema

Mas, quais os caminhos da Inteligência artificial e quais seus impactos em nossas vidas, o Diretor Técnico da Witec Solutions, Marco Lagoa, detalhou alguns pontos:

Tendência

A grande tendência daqui para frente da AI é que ela seja cada vez mais acessível. Os robôs e mecanismos de inteligência cognitiva saem da esfera só científica, dentro de um laboratório e passam a fazer parte do nosso dia a dia. O Google, por exemplo, vem incorporando a Inteligência Artificial em vários elementos como o corretor ortográfico, assistentes virtuais cada vez mais planejados e até apps que conhecem sua pose ao tirar uma foto. Além disso, a IA também invade o mundo corporativo, o Google também já está desenvolvendo assistentes de call center com uma inteligência autônoma, o que pode reduzir muitos gastos. Vale lembrar da utilização da Alexa para integrar salas de conferência da Polycom e a Cortana da Microsoft, com o uso no Hololens, Skype e outros Apps.

Sim, existem riscos

Historicamente o cinema associa a IA a só as cenas de laboratórios, robôs criados para o mal e o uso para inteligência de armas. Esse último não é só na ficção, sabe-se que há uma discussão para o não uso da IA na tecnologia de armamentos. Pesquisadores e empresas como SpaceX inclusive já assinaram um acordo, em que se comprometem a não usar a AI para o desenvolvimento de robôs que seriam verdadeiras armas e teriam a inteligência até para matar uma pessoa. Mas, como já citamos, a IA tem muito mais coisas boas do que ruins.

Fim de empregos

O avanço tecnológico, principalmente quando falamos de IA, pode, sim, extinguir alguns empregos. Vejamos o exemplo do Google, que vem desenvolvendo um atendimento automatizado para call centers, com base na Inteligência Artificial, que pode facilmente substituir uma atendente humana que estaria neste posto. Mas, ao mesmo tempo que alguns serviços podem ser instintos, outros podem ser criados. Com o maior investimento no setor da tecnologia, cada vez mais se precisará de especialistas que entendam de AI, pesquisadores entre outras profissões que podem surgir no meio desse processo.

Internet das Coisas

Internet of Things (IoT) ou Internet das Coisas é um conceito cada vez mais comum em palestras, workshops, aulas e conceitos que envolvam a tecnologia atual. Na verdade, o significado desse termo tem a ver com o fato de que boa parte das coisas que usamos no nosso dia a dia estar, de alguma maneira, conectado à rede e gerando informação, o recurso principal para ser consumido pela AI. A ideia desse termo é de que as coisas conversem entre, estando conectadas digitalmente. Um exemplo bem simples, e que muita gente conhece, é o SmartWatch. Um relógio digital que conversa com seu telefone, e consegue extrair informações das suas redes sociais, dados vitais de saúde  e essa conexão facilita o seu dia a dia, já que para atender uma chamada ou ver uma notificação na sua rede, você só precisa olhar no relógio e ver o que está acontecendo. Esse é um conceito que tende a crescer cada vez mais.

Internet dependência

Na verdade, aos poucos, estamos nos tornando cada vez mais dependentes da Internet. Ela não é necessária para nossa sobrevivência, mas ela oferece um leque de oportunidades e facilidades tão grandes, que, muitas vezes, podemos não imaginar uma vida sem tudo isso. O que não podemos é nos tornarmos reféns dela. É muito bom bater papo com seus amigos em um grupo do Whatsapp, mas é melhor ainda conversar ao ar livre, em um bar, pessoalmente. É bem legal estimular as sensações de uma criança com apps, desenhos, mas é melhor ainda fazer com que ela também brinque ao ar livre. No final, é tudo uma questão de dosagem para que fique somente o saldo positivo da era digital.

Segurança sem risco ou em risco

A tecnologia deve sempre vir também associada a segurança. Não é uma realidade distante, que existam aplicativos que indiquem por onde você passa restaurantes indicados, lugares para compras entre outros, e muitas pessoas sentem-se invadidas no seu espaço com isso. Mas, assim como a tecnologia cresce, crescem também as maneiras de proteger seus dados com segurança, é uma via de mão dupla, que devemos saber seguir. Mas esse é um papo bem longo, que com certeza seria maior que o assunto AI.

Quais são os rumos para o futuro?

Como fazer previsões para um futuro que cada vez mais se acelera? O caminho parece difícil, mas a Singularity University – organização criada pela NASA e pelo Google que tem a missão de educar, inspirar e capacitar líderes para aplicar tecnologias exponenciais para enfrentar os grandes desafios da humanidade se propôs a fazer algumas previsões.

Segundo eles em vinte anos atingiremos o ponto que chamamos de “Singularidade”, quando a inteligência artificial superará a capacidade humana em todos os aspectos, veja o que porjetam:

2018

  • A I.A. com emoção se incorporará em interfaces de conversa. Será socialmente aceitável gritar com Alexa ou Siri, por exemplo, e ela responderá algo como: “Por favor, não grite assim. Está ferindo meus sentimentos!”
  • Drones e equipamentos de realidade virtual muito mais acessíveis e comuns no dia a dia. Robôs inteligentes já automatizam diversas tarefas manuais e começam a extinguir diversos empregos.

2020

  • Internet 5g entrega velocidades de conexão de 10 a 100 gigabytes para dispositivos móveis ao redor do mundo.
  • Diagnósticos baseados em I.A. e recomendações terapêuticas serão usadas na maioria dos centros médicos americanos.
  • Carros voadores entram em operação em algumas cidades.

2022

  • Impressoras 3d conseguem imprimir roupas e materiais para montagem de casas e prédios.
  • As pessoas terão liberação para conduzirem carros autônomos nos EUA e alguns outros países.
  • Robôs domésticos se tornam normal em alguns lares de renda média, capazes de fazer leitura labial, reconhecimento facial e de gestos com clareza.
  • Robôs conversam naturalmente e atuam como recepcionistas, assistentes de lojas e escritórios.

2024

  • As primeiras missões privadas para Marte são lançadas.
  • O número de vôos de drones diários chega a 10.000.000 (100x mais do que hoje)
  • Drones já entregam pacotes rotineiramente aos telhados dos prédios e casas e robôs de superfície pegam esses pacotes e os encaminham de porta em porta.
  • Os primeiros contratos de energia solar e eólica de “um centavo por KwH” são fechados.
  • As vendas de veículos elétricos compõem metade das vendas totais de automóveis.
  • Lidar com inteligência artificial aumentada é considerado um requisito para a maioria dos empregos.

2026

  • A posse de carros sai de moda e os veículos autônomos dominam nossas estradas
  • 000 pessoas transitam em Los Angeles, Tóquio, São Paulo e Londres em veículos de decolagem e aterrisagem vertical.
  • Agricultura vertical se torna vital para produção de comida na maioria das grandes megacidades.
  • 8 bilhões de pessoas já se conectam à internet em velocidades de 500 mbps. Tablets nas regiões mais pobres do mundo se tornam disponíveis para uso em troca de dados e direitos de ecommerce.
  • Realidade virtual se torna onipresente. Os pais constantemente reclamam que seus filhos estão em “outro universo”. O turismo começa a cair conforme as pessoas tem experiências tão boas quanto através da realidade virtual.

2028

  • Energia solar e eólica representa quase 100% do consumo mundial.
  • A demanda mundial por petróleo chegou ao seu auge e parece começar a decrescer.
  • Robôs terão relacionamentos reais com as pessoas, dando suporte aos idosos, cuidando da higiene pessoal e preparação de alimentos. Robôs para relações íntimas passam a ser populares.

2030

  • A inteligência passa no teste de Turing, o que significa que a máquina pode alcançar (e superar) a inteligência humana em todas as áreas.
  • Os mais ricos tem acesso ao que se traduz “velocidade de escape da longevidade” – o momento em que um ano de avanço tecnológico consegue aumentar a expectativa de vida das pessoas em mais de um ano.
  • Agencias de inteligência confirmam que mensagens armazenadas e seguras enviadas entre 1990 e 2029 foram desencriptadas com sucesso.
  • Emissões de carbono caem mais rápido a cada ano. Será assinado um plano global de emissão zero até 2050 de carbono.

2032

  • A maioria dos profissionais humanos tiveram alguma modificação cortiçal, como coprocessadores e comunicação web em tempo real.
  • Robôs avatares se tornam populares, permitindo que qualquer um possa teleportar sua consciência para locais remotos em todo mundo.
  • Robôs são comuns em todos os locais de trabalho, eliminando todo trabalho manual e interações repetitivas (guias turísticos, recepcionistas, motoristas e pilotos, serventes e construtores).

2034

  • Empresas como Kernel fazem conexões significativas entre o córtex humano e a nuvem.
  • Muitos problemas mundiais são solucionados (ex.: câncer e pobreza).
  • A I.A. consegue solucionar problemas científicos complexos que requerem alto nível de realidade aumentada para entendimento.

2036

  • Tratamentos para longevidade se tornam disponíveis rotineiramente e cobrem políticas de seguro de vida, extendendo a vida das pessoas comuns em 30 a 40 anos.
  • Cidades inteligentes escalam globalmente; são hiper eficientes em utilizar energia solar, produzir e distribuir alimentos, oferecer segurança e transporte eficiente.

2038

  • O dia a dia já não é mais reconhecível – a realidade virtual e inteligência artificial alavancam todas as partes da vida humana no mundo inteiro.

Se as previsões acontecerão ou não, só o tempo dirá, mas uma coisa é certa, dificilmente os caminhos serão mutos diferentes dos traçados, perante a velocidade do mundo em que vivemos.

O Grupo Alliance está sempre antenado no que é mais moderno no mundo dos negócios!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *