Portabilidade é alternativa para pagar dívidas

A alta dos juros deveria fazer com que muitas pessoas ficassem preocupadas, principalmente quando se tem dívidas, já que esta alta reflete diretamente nos parcelamentos, tornando-os mais caros e se não houver consciência o resultado pode ser a inadimplência. Entretanto, muito poucos sabem que existem essas variações de taxas para mais ou menos dependendo do momento e também de cada instituição financeira.

Esta variação deve ser foco de análise e grande preocupação, e em casos que já se esteja endividado pode ser uma boa alternativa já que o consumidor pode fazer a troca por outra instituição que tenha menor taxa de juros.

Essa troca chamamos de portabilidade de créditos que possibilita esta condição de troca. De forma simplificada essa operação permite que o transporte do saldo devedor para outro banco que ofereça melhores condições contratuais que o banco original. O funcionamento é simples: o cliente, após escolher a nova instituição financeira com a qual irá operar, quitará seu saldo devedor junto ao banco original com recursos transferidos eletronicamente pela nova instituição. O seu saldo devedor passará a ser devido à nova instituição escolhida, sob as novas condições negociadas entre ela e o cliente.

Assim, aconselho para quem tem dívidas que faça imediatamente pesquisas para comparar a taxas cobradas, é preciso ficar atento e se for necessário faça uso da portabilidade, mude quantas vezes for necessário.

É importante registrar que a simples troca de uma instituição por outra, baixando com isto os juros, geralmente combate o efeito do problema deste endividamento, esta operação deverá ser utilizada como uma estratégia para que se resolva em definitivo o problema financeiro. É muito comum se acomodar e achar que está tudo bem, mas alerto que é preciso descobrir a causa deste endividamento, a maior parte do endividamento das famílias brasileiras é gerado por desequilíbrio financeiro, ou seja, gastar mais do que se ganha. É preciso reestruturar o orçamento financeiro ou assumir o controle financeiro.

O pagamento de juros deve ser evitado e para isso é preciso criar o hábito e costume de poupar antes de gastar, quando entramos no endividamento mesmo que com taxas de juros menores, gastamos mais dinheiro e certamente com isto deixamos de realizar outros desejos e necessidades. É preciso construir uma nova cultura com relação à administração de nosso dinheiro e para isso temos que aprender a evitar os impulsos e apelos do marketing publicitário e do crédito fácil, mesmo com a queda do juros que é um grande incentivador do consumo. Cuidado para não comprar aquilo que não sonha, com o dinheiro que não tem, para impressionar pessoas que muitas vezes nem conhecemos.

Fora isso, o caminho está aí para uma mudança de postura e o início da inserção da educação financeira em sua vida, pois, ao sair das dívidas se tem duas alternativas, fazer novas, em um ciclo vicioso que trará muito desgastes, ou partir para o caminho do consumo consciente, que lhe trará um futuro próspero se sem preocupações financeiras.

 

Leia também:

– Profissionais autônomos devem ter cuidado especial com as finanças

– Cartão pré-pago é ótima opção, desde que se tenha educação financeira

– Alta do dólar requer cuidado redobrado