Por que não se endividar no cartão de crédito?

img-cartãoSegundo levantamento da associação de defesa do consumidor Proteste, com os 20 cartões de crédito mais usados no país os custos das taxas vão de 93% a 654% ao ano. Mas o maior problema é que as dívidas no cartão de crédito são muito comuns, e os consumidores normalmente colocam a culpa do seu endividamento pessoal nessa ferramenta financeira, sem perceber que o problema real está nos seus hábitos de consumo. 

Se a pessoa utiliza desse dinheiro é porque já não está conseguindo ter o controle de sua vida financeira. Os gastos com o cartão de crédito deverão ser pagos e o pagamento apenas do mínimo é um erro muito comum e perigoso das pessoas.

Contar com esse “benefício” da operadora de cartão fará com que não se consiga mais controlar as finanças, já que haverá contas que dependerão dessa alternativa e isso se transformará em um círculo vicioso. Sempre que pensar em gastar, se faça a seguinte pergunta: realmente poderei arcar com este custo? Este não fará com que não consiga pagar minha conta de cartão de crédito completa? Qual a alternativa para não cair nessa linha?

Afirmo que, com disciplina, é possível viver com o que se ganha. Caso passe por alguma situação atípica e não tenha uma reserva financeira, tente buscar linha de créditos com juros mais baixos, evitando, dessa forma, ter que pagar juros abusivos às instituições financeiras.

Outro ponto importante em relação ao cartão de crédito é se informar sobre todas as taxas cobradas e negociá-las. Muitas pessoas não tomam ciência dos valores e, por isso, perdem a chance de encontrar alternativas mais em conta ou até mesmo pedir isenção desses valores.

No entanto, se você já está endividada – ou até inadimplente – por conta dessa prática, converse com sua operadora de cartão de crédito e tente uma negociação. Pense: “devo, não nego, pago quando e como puder”. Você está disposto a pagar e o credor precisa receber, então, verifique a possibilidade de adequar as dívidas ao seu orçamento financeiro.

Leia também:

– Orientações para um casamento feliz financeiramente!

– Casamento requer planejamento

– Saiba qual o melhor tipo de investimento!