Contratar Funcionário

O que não fazer para acertar na contratação de funcionários?

Contratar funcionário no perfil adequado é um grande desafio para o departamento de RH, tendo em vista que a escolha do profissional ideal é essencial para a conquista dos bons resultados da empresa. Por isso é preciso ter responsabilidade, cuidado e atenção nesse momento.

O processo de recrutamento e seleção envolve muitos detalhes e etapas, por este motivo, algumas ações devem ser evitadas para impedir falhas e evitar que o setor responsável pela abertura da vaga se depare com situações que poderão impactar em problemas como turnover, baixa produtividade e até futuras ações trabalhistas.

Pensando nisso, elaboramos este post, a fim de apresentar as principais falhas neste processo, que devem ser evitados no momento da contratação. Confira!

Apressar o processo seletivo sem seguir critérios

Para que a contratação do funcionário se torne mais assertiva, é preciso que o candidato realize todas as fases do processo seletivo, que já é legitimado pela empresa e tem todos os aspectos necessários para avaliar o potencial do profissional, tanto comportamental como técnico. Então, seja objetivo e foque principalmente nas contratações realizadas com urgência, não deixando de lado nenhuma das fases.

Além do mais, quando uma contratação é feita de forma inadequada, a possibilidade do candidato não ser aproveitado e desejado pela empresa se torna muito maior. Caso isso ocorra, a organização perderá tempo e dinheiro para realizar sua rescisão e começar um novo processo seletivo, desgastando a imagem do RH e da empresa perante o mercado.

Excluir do processo a participação do gestor responsável pela vaga

Muitas vezes, se deixa de envolver o responsável pelo setor no processo seletivo, onde a contratação é feita somente por meio da escolha da equipe de RH. Entretanto, o gestor é a pessoa que tem conhecimento técnico de sua área e realiza a divisão do trabalho, o que dá também a ela credencial para definir o perfil profissional que é necessário para o aumento da produtividade e ganho de qualidade dos serviços realizados pelo seu time.

Dessa forma, excluir sua participação poderá impactar na contratação de um profissional fora do perfil e que não corresponderá nas expectativas da empresa e setor ora contratado para aquela circunstância, podendo até mesmo prejudicar o desenvolvimento das atividades propostas ao cargo.

Acreditar de forma precipitada no currículo

É um erro cometido por várias empresas, muitas vezes devido à falta de experiência do recrutador ou até mesmo a pressa para preencher a vaga, as empresas acabam se impressionando tanto com o currículo apresentado, que deixam de fazer as entrevistas e testes necessários para ter certeza do perfil e competência do candidato.

Escolher o candidato com menor pretensão salarial

A pretensão salarial só deve constar no currículo, para servir como base na identificação se o salário desejado se encontra dentro dos limites orçamentários em que a empresa está disposta investir na contratação. Adotá-la como um dos principais requisitos de contratação de um profissional pode gerar a admissão de alguém não tão qualificado para o cargo e, dessa maneira, trazer mais problemas do que soluções para a área.

Deixar de detalhar a vaga para o candidato

É preciso conceder todas as informações a respeito da vaga no momento da entrevista, como salário, benefícios, cargo, função, horário de trabalho e outros detalhes que julgar importante.

Esclarecer todos os itens ao candidato apenas quando houver a escolha ou fechamento da vaga pode ensejar na negativa do candidato, por desconhecimento de itens que podem ser fundamentais para carreira do mesmo, inclusive nas atividades a serem executadas, o local de trabalho, esperava um salário maior etc.

Esquecer de se atualizar sobre a legislação trabalhista

Devido à complexidade e alterações frequentes da legislação trabalhista e estratégia de mercado, é preciso estar sempre atualizado sobre todos os detalhes e, assim, evitar o ajuizamento de uma Reclamação Trabalhista no futuro ou problemas com órgãos responsáveis, como o Ministério do Trabalho. No momento da contratação, alguns pontos devem ser observados, como:

  • Se o funcionário contratado receberá o mesmo salário dos demais colaboradores que exercem a mesma função ou se há enquadramento na política de salários e carreira interna da empresa.
  • Houve a solicitação dos documentos que permitirão que o empregador dê cumprimento às suas obrigações trabalhistas e previdenciárias;
  • Se os dados exigidos foram enviados para o Ministério do Trabalho;
  • Se o contrato de experiência por prazo determinado foi pactuado adequadamente;
  • Se todos os direitos impostos por lei, como alimentação, transporte, férias e 13º salário, estão sendo atendidos.
  • Se os exames admissionais foram realizados e o profissional esteja apto para a vaga e cargo disponibilizado.

Agora que você já sabe o que não deve ser feito ao recrutar, selecionar e contratar funcionários ficarão mais assertivas as próximas admissões. Fique sempre atento aos detalhes que podem fazer toda diferença na seleção do profissional, o que garantirá a qualidade no quadro de colaboradores da empresa, além da segurança jurídica deste processo.

Este texto foi útil para você? Então, compartilhe com a gente, sua opinião e experiência sobre o assunto, deixando um comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *