Como planejar o pagamento do IPVA e IPTU com os novos valores

Duas notícias recentes vão alterar um pouco o planejamento financeiro dos moradores de São Paulo: o IPVA terá redução média de 5,16% para carros e 5,08% para motos de todo o Estado, enquanto que o IPTU aumentará até 20% para imóveis residenciais e 35% para comerciais da cidade.

A redução do IPVA com certeza é positiva, mas é importante ter em mente que a mesma ocorre muito em função da desvalorização dos veículos. Já o acréscimo no valor do IPTU irá impactar negativamente na maior parte das famílias e empresas brasileiras, uma vez que não são educadas financeiramente e, por isso, não possuem uma reserva financeira para cobrir imprevistos como esses. Além disso, o brasileiro em geral não tem a cultura de cobrar os seus representantes, por exemplo, com relação a esse aumento abusivo, se compararmos à situação real.

Contudo, como planejar esses pagamentos? É melhor pagar estes impostos à vista ou a prazo? Para não errar na hora de escolher é preciso saber em que situação financeira que você se encontra, podendo ser: endividada, equilibrada financeiramente ou investidora.

A partir daí, veja as orientações na hora de pagar:

1. Se a situação for endividada ou equilibrada financeiramente, a resposta é simples, pois, já se sabe que não se tem dinheiro disponível para o pagamento à vista, o que obrigará a optar pelo parcelamento.

2. Em caso da necessidade de empréstimos a situação fica ainda mais complicada, todo cuidado é pouco, deve ser totalmente proibido recorrer ao cheque especial, pois, com os juros altíssimos.

3. A pessoa que estiver na situação de investidor, a recomendação é para o pagamento à vista, já que obterá 3% de desconto no IPVA e 6%, em média, para o IPTU. Só fique atento aos compromissos futuros, muitas pessoas acabam sendo influenciadas pelo desconto e esquecem que terá outros compromissos .

4. Se planeje para estes e outros gastos sazonais que normalmente não dá atenção, mas que nos trazem grande dificuldade de pagamento;

5. E tiver que optar por pagar um à vista, escolha aquele em que o valor do desconto será maior. O restante deve ser parcelado;

6. Antes de pagar à vista, tenha certeza que o dinheiro não fará falta para compromissos futuros, pois, caso contrário ficará vulnerável à entrar no cheque especial ou em financiamentos com juros altos;

7. Se for parcelar, insira imediatamente o valor das prestações no orçamento, financeiro.

Reinaldo Domingos, educador financeiro, presidente da DSOP Educação Financeira e Editora DSOP, autor dos livros Terapia Financeira, Eu Mereço Ter Dinheiro, Livre-se das Dívidas, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, das coleções infantis O Menino do Dinheiro e O Menino e o Dinheiro, além da coleção didática de educação financeira para o Ensino Básico, adotada em diversas escolas do país, Apostila de educação financeira para o ensino EJA e Jovem Aprendiz.

Leia também:

– Aumento no IPI dos veículos – Veja cuidados na hora da comprar
– 13 orientações para fazer de 2014 o ano da educação financeira
– Aumento do IPTU requer melhor planejamento financeiro