Panoramic Skyline And Buildings With Empty Road

Bleisure – uma viagem que para o trabalho e família

Mesclar a vontade de viajar e conhecer o mundo com a necessidade de fazer bons negócios e crescer no mundo corporativo, esse é um conceito que fascina grande parte dos empreendedores e gestores de empresas. Ponto interessante é que essa possibilidade se torna cada vez mais realidade e que existe até um termo para essas viagens: bleisure.

Planeje sua viagem profissional com a AD Turismo

A palavra significa, de forma simplificada, uma forma de unir negócios ao lazer, sendo bleisure a junção das palavras business (negócios) e leisure (lazer). Essa ação passou a ser popularizada em 2009 e cada vez conquista mais adeptos.

“Esse modelo faz com que a viagem corporativa deixe de ser tão cansativa e que só foque em negócios, assim se mescla diversão, aproveita a paisagem, conhece os atrativos turísticos e, ao mesmo tempo fazer negócios, traz conteúdos profissionais e possibilita fazer network”, explica o sócio da AD Turismo, Charles Franken.

Um bom planejamento

Na Bleisure, a carga horária de compromissos profissionais é mais bem planejada, trazendo oportunidade para o turismo local e vivenciando a cultura. Ponto interessante é que por vezes é possível a presença de familiares ou amigos no período.

Mas, nem tudo é diversão, para que o Bleisure funcione corretamente é preciso organização e adequação do período, a consciência de que é preciso uma boa separação, sem que um ponto prejudique outro. Caminho é que os colaboradores trabalham nos dias combinados e deixam a diversão para períodos separados e a melhor orientação é que não ocorram excessos.

Assim, como se pode ver, essa possibilidade não é simples como aparenta, a AD Turismo, é uma empresa que especializou no tema e com base em sua experiência explica que é preciso muito cuidado.

“Para realizar esse tipo de viagem (bleisure) existem muitos estudos, com tecnologias dedicadas e mapeamento de destinos, apresentando um roteiro completo, com um levantamento de datas, horários, mobilidade, que inclui a cultura e gastronomia local, espetáculos, eventos e tudo o que o viajante poderá usufruir. Estendendo ou antecipando o período em que ele estará a serviço da empresa. Esse processo envolve um cuidado especial com o nosso cliente e tem sido uma importante ferramenta de relacionamento”, complementa Charles Franken.

Assim, esse modelo de viagem se diferencia em muito das viagens convencionais, tendo um trabalho mais intenso de consultores, com o objetivo entender o desejo do cliente quanto ao que se espera de uma viagem, suas preferências, sonhos e oferecer as melhores opções.

A tecnologia tem sido importante aliada nesse processo, viabilizando escolhas assertivas por meio de fotos, vídeos, depoimentos de viajantes, acompanhamento e monitoramento via aplicativos dedicados, desde a escolha do destino até o retorno, proporcionando experiências cada vez mais prazerosas e apaixonantes.

O destino de um evento corporativo, seja VTI (Viagem Técnicas Internacionais), viagem de incentivo, convenção ou campanhas sazonais são definidos por meio de planejamento estratégico minuciosamente detalhado, alinhado com os propósitos e objetivos recebidos no briefing.

“Esse trabalho exige expertise e a AD Turismo está sempre em busca de novas tendências. Considerando a importância do primeiro passo para a criação de um evento corporativo, investiu e estruturou um departamento próprio de Criação e Produção, fazendo dessa etapa do processo, um diferencial vital para garantir o sucesso dos projetos,  entregando aos nossos clientes o que realmente se espera de uma agência especializada,  algo inovador e que supere as expectativas do cliente final. Seja qual for o destino escolhido, ele se tornará inesquecível”, finaliza o sócio da AD Turismo.

Cinco orientações para a viagem ser um bom investimento

1 – Trace um planejamento

Planejar a viagem nada mais é do que definir local, período, hospedagem, transporte e alimentação, orçando cada um desses itens, para conhecer o total dos gastos e o custo geral da viagem.

Faça seu investimento com a Redoma

2 – Negocie preços

Dessa forma é possível não apenas pesquisar com mais cuidado, como também negociar com as empresas ou agentes de viagem para conseguir descontos e facilidades no pagamento.

3 – Faça um diagnóstico financeiro

O primeiro passo é fazer um diagnóstico financeiro e conhecer a sua situação atual. Se não poupou dinheiro para essa viagem, é válido optar por passeios mais baratos, sem que seja necessário se endividar. Há várias cidades próximas da capital com pontos turísticos bacanas, além de parques e atividades culturais de baixo custo ou gratuitas.

4 – Tenha reserva para imprevistos

Coloque na ponta do lápis todos os gastos envolvidos, incluindo um valor extra para imprevistos, como oportunidades de passeios ou compras que deseje aproveitar na ocasião, mas não teria como prever.

5 – Lembre dos demais gastos

Além de pensar na viagem em si, é preciso lembrar das despesas comuns de final e início de ano, como presentes, celebrações, ceia de Natal, IPTU, IPVA, matrícula e material escolar, por exemplo. Ter educação financeira é justamente agir de forma sustentável, evitando que uma viagem se torne motivo de preocupação e descompasso financeiro em breve.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *