Assessoria De Investimentos

Assessoria de Investimentos: diferencial em tempos turbulentos

Nos últimos meses, quem investe na bolsa de valores passou por uma situação totalmente desesperadora, com seguidas e assustadoras quedas nos valores de ações. Por várias vezes ocorreu o chamado circuit breaker, mecanismo que interrompe as negociações de papeis por 30 minutos depois de cair mais de 10%, causando grande desespero.

A grande causa dessa crise foi o coronavírus, que criou a limitação de circulação em território nacional e a instabilidade no preço do petróleo. O dólar disparou e com isso muitos investidores, principalmente os de primeira viagem, perderam dinheiro e ficaram em pânico, se arrependendo de terem feito esse tipo de investimento.

“Essa história toda surgiu para os investidores ficarem mais atentos e interessados nos produtos que investem. Os impactos não foram só em ações, foi geral, todas as classes de ativos sofreram, desde renda fixa a ações (com exceções de poupanças e poucas rendas fixas). Isso mostra que o mercado não é tão simples”, analisa a sócia da Redoma Invest, Carollyne Mariano.

Muitos dos investidores inexperientes desistiram e perderam ainda mais dinheiro, esquecendo que no mercado de ações, principalmente nesses momentos e por mais que pareça impossível, é a hora de manter a calma e não retirar seus investimentos desse tipo de aplicação por conta de altos e baixos.

Para quem estava com todo dinheiro investido em ações, o erro já começou de partida, sendo que a maioria dos especialistas recomendam que não se deve deixar o dinheiro em uma única aplicação.

“Quem faz isso fica muito suscetível a momentos como o atual”, explica Mariano. Ela se refere ao fato de que, apenas no mês de março, a bolsa caiu 29,9%, a segunda maior queda mensal da história. Isso faz com que, mais do que nunca, o investidor tenha que ter claro qual o perfil dele, o que espera com a aplicação do dinheiro.

“”Quando se está direcionando dinheiro para essas áreas, é preciso saber também o que fará em caso de queda.  Porém, temos que levar em conta que o que ocorreu foi o que chamamos de ‘cisne negro’, ou seja, em geral, só acontece a cada dez anos, mas que quando acontece, machuca”, explica Mariano.

“Com os juros baixos, se torna mais difícil ganhar dinheiro com investimentos financeiros, assim para ter lucro ainda é preciso correr riscos, investir em ações, fundos imobiliários, em fundos multimercados. Mas é preciso estar ciente de que crises acontecem e que esse dinheiro vem a longo prazo. Estamos caminhando para um mundo em que investidores direcionam dinheiro em ações”, analisa a sócia da Redoma.

Perder menos

Uma lição desse desastre é que uma alternativa para quem quer investir, mas que ainda não tem esse conhecimento, é buscar uma assessoria de investimento. Isso pelo fato de que, por mais que o investidor estude e dedique-se em relação ao mercado para identificar as melhores aplicações disponíveis, o tema é extremamente complexo e tem atualizações muito rápidas e constantes, sendo primordial grande dedicação.

Com uma assessoria é possível investir de forma mais segura e, diferente do banco, se obtêm um trabalho mais direcionado ao perfil da pessoa, não estando à mercê de metas estabelecidas de produtos das agências bancárias.

A sócia da Redoma Invest, Carollyne Mariano, conta que “infelizmente nesses momentos de baixa, quem vender o que tem investido por impulso perderá muito dinheiro. Mas quem está assessorado saberá o melhor momento para realizar compras e vendas e não entrará na pilha do mercado, tomando decisões no desespero”.

Ela complementa que existem vários pontos a serem avaliados antes de se contratar uma assessoria de investimentos, veja alguns:

  1. SOLIDEZ DA ASSESSORIA

É preciso se informar a respeito de sócios e colaboradores. Um grande aliado é Google, pois por meio dele é possível verificar informações sobre os assessores e se existe algum processo contra eles na CVM, por exemplo.

Também pesquise entre grupos de relacionamentos e clientes da assessoria, sendo isso eficaz para conseguir informações verdadeiras sobre a empresa. Esses cuidados são importantes para garantir a idoneidade da instituição antes de confiar a ela qualquer recurso.

  1. PROFISSIONAIS ENVOLVIDOS

Mais pesquisas, pois para aceitar conselhos de um profissional, é necessário verificar as qualificações. Busque entender a capacitação do agente responsável por seus investimentos e confirmar suas experiências e habilidades.

Não deixe de pesquisar também na Ancord (Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias) e na CVM (Comissão de Valores Mobiliários) — pois não se deve deixar o dinheiro na mão de qualquer um.

  1. CORRETORA OU INSTITUIÇÃO POR TRÁS DA ASSESSORIA

A maioria das assessorias precisa trabalhar junto a uma corretora para oferecer seus produtos financeiros, por isso é importante colher informações a respeito dessa empresa parceira, do mesmo modo que foi feito com a assessoria de investimentos, para garantir sua idoneidade.

O benefício de contar com gestores ligados a instituições sérias é que elas costumam estipular normas de comportamento e atuação para garantir que os agentes trabalhem com as melhores práticas de mercado e ofereçam serviços de qualidade.

  1. ALINHAMENTO DE INTERESSES

É preciso levar em conta que assessorias de investimento costumam ter perfis diferentes: enquanto algumas se dedicam a investimentos em renda fixa, com maior estabilidade, outras preferem dar ênfase em aplicações arriscadas, mas que ao mesmo tempo oferecem a oportunidade de se auferir lucro mais rápido. Por isso, é necessário que o investidor escolha uma assessoria financeira que esteja alinhada a seu perfil e atenda às suas necessidades.

Compartilhe