Gestão De Ativo Imobilizado

Gestão de ativos patrimoniais auxilia na retomada dos negócios

O momento é de ânimo para o mercado. Executivos no Brasil estão com melhores expectativas em relação ao crescimento de suas empresas nos próximos 12 meses. De acordo com os números da 22ª Pesquisa Global com CEOs da PwC (22st Annual Global CEO Survey), cerca de 43% dos líderes brasileiros acreditam que suas empresas devem crescer ao longo de 2019. Na pesquisa anterior, que considerava o sentimento para 2018, esse índice era de 39% (um aumento de 4 pontos percentuais).

Nesse cenário de recuperação as empresas devem valorizar os aprendizados da crise, dentre esses o de valorização da estrutura da empresa, a expansão dos negócios costuma ser um dos principais objetivos de qualquer empresa. Quando feita corretamente, ela garantirá faturamento, segurança e desempenho otimizado. E uma das coisas mais importantes a ser realizada para que se atinja o sucesso é a gestão patrimonial.

Mas, qual a importância da gestão de ativos de patrimônio nesse contexto e por que isso deve ser feito. Ocorre que as empresas avaliam muito de seus aspectos, mas esquecem de avaliar o valor de sua estrutura. Aspectos quantitativos e qualitativos do patrimônio devem ser observados e entendidos antes de qualquer tomada de decisão relacionada à expansão.

Por que fazer a gestão patrimonial?

“A gestão patrimonial é essencial para que se tenha controle sobre os custos, os quais podem estar relacionados aos bens e às obrigações de um negócio. Isso facilita a administração, a mensuração de estoques, os níveis de defasagem e obsolescência dos equipamentos etc”, detalha Andreia da Saraf.

Com um bom balanço patrimonial é possível saber o valor dos ativos (direitos e bens) e passivos (obrigações e dívidas) de qualquer organização. Ao observar os balanços patrimoniais dentro de um certo período, é possível identificar se a empresa está crescendo ou declinando e uma escolha mais assertiva do momento ideal para a expansão poderá ser feita.

Outros benefícios

Além de ser fundamental para tomada de decisões, uma gestão do patrimônio traz alguns outros benefícios.

Crédito – Os resultados financeiros de uma empresa são, geralmente, os índices analisados pelos stakeholders e investidores. A transparência nas operações, aliada a um bom controle do patrimônio, pode ser um fator decisivo na hora de conseguir empréstimos, financiamento e atrair investidores.

Planejamento orçamentário eficiente – Com os dados obtidos pelas atividades da gestão patrimonial, um planejamento orçamentário mais preciso consegue ser elaborado. As estimativas orçamentárias passam a ser feitas de acordo com as necessidades reais da empresa e há uma redução dos recursos mal-empregados.

Benefícios legais – Com uma boa gestão de patrimônio, fica muito mais fácil para a empresa se adequar às imposições legais relacionadas ao controle patrimonial. Um projeto bem elaborado alinhado com o planejamento tributário possibilitará melhor aproveitamento das taxas de depreciação e recuperação de créditos tributários.

Seguro Empresarial – Tem definido todos os ativos patrimoniais se torna mais simples segurar o que se tem de valor e ter menos dispêndio com apólices necessárias.

Como fazer?

Após entender a importância de uma boa gestão de ativos patrimoniais, o próximo passo é saber como colocar em prática ou aprimorar, veja dicas que auxiliarão em todo esse processo.

Conheça a legislação pertinente

Existe um procedimento contábil referente ao ativo imobilizado, o CPC (Comunicado de Procedimento Contábeis) 27, que tem correlação com a norma internacional IAS 16. Além dele, é importante conhecer toda a legislação societária e tributária para que não se enfrente nenhum problema legal futuramente. Inadequações costumam acarretar em multas, sanções e processos. Tudo isso representa perda financeira.

Faça um levantamento do inventário e bens do empreendimento

Um bom controle começa com um bom levantamento. Com ajuda de um software ou sistema de apoio, é preciso listar todos os bens adquiridos pela empresa. Esses serão devidamente identificados com placas ou tags para facilitar a manutenção e gestão.

A correta identificação e monitoramento constante também melhora a prevenção contra roubos e extravios.

O levantamento do inventário é um processo que deve ser feito com uma certa periodicidade. Afinal, ativos novos chegarão durante o projeto, outros podem ter mudado de lugar, descartados por algum sinistro, doados, etc.

Utilize um software de gestão

A tecnologia vem para auxiliar as empresas nos processos mais trabalhosos. Ao utilizar um bom software de gestão patrimonial é possível automatizar processos de registro e gerar relatórios e documentos vitais para o controle. Com um bom gestor no comando, o software auxilia a busca por excelência na gestão de ativos de uma empresa.

Assim se percebe o peso da gestão patrimonial numa empresa. Ninguém quer correr o risco de realocar custos erroneamente, ter divergências nas documentações e falta de controle do próprio patrimônio. Por isso é importante ter paciência, não pular etapas e, principalmente, contar com pessoas que sabem o que estão fazendo.

Fernando Prado de Mello. Diretor Executivo da Saraf Controle Patrimonial. Empresa associada ao Grupo Alliance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *