5 Dicas Que Vão Te Ajudar A Guardar Dinheiro

5 dicas que vão te ajudar a guardar dinheiro

Está com o saldo zerado?
É difícil manter uma reserva quando temos tantos gastos e impostos altíssimos, sendo assim separamos 5 dicas que vão te ajudar a guardar dinheiro:

Sonhando com uma viagem especial, dessas com fotos que nem precisam de filtro? “Para guardar dinheiro, é preciso ter meta e foco”, lembra o educador financeiro Reinaldo Domingos, autor do livro Ter Dinheiro Não Tem Segredo(Editora DSOP).

De acordo com ele, não existe um percentual mínimo sobre o salário para se poupar. Depende muito desse seu plano final – o motivo pelo qual você precisa do dinheiro. “Pode ser comprar um carro, uma casa ou garantir os estudos do filho. Todo sonho é válido”, afirma Domingos. Para te ajudar nessa missão, inclua marido e filhos nesse “mutirão da economia”. Afinal, de que adianta você controlar até a manicure enquanto eles se jogam em compras supérfluas? Todos podem participar do planejamento e aprender a lidar com a frustração de cancelar algumas aquisições em prol de algo mais importante. Confira abaixo outras dicas inteligentes:

1. Quanto custa o seu sonho?

Guardar dinheiro só por guardar não costuma funcionar. O ideal é que você tenha uma meta: viajar, comprar a um carro ou uma casa própria. “As metas e os sonhos são o antídoto para o consumo não consciente”, reforça Reinaldo Domingos. Estabeleça quais são seus desejos e sonhos a curto (até 1 ano), médio (até 10 anos) e longo (mais que 10 anos) prazo. Depois, determine quanto custa cada sonho e qual valor deverá guardar para isso. Para os sonhos de curto prazo, o ideal é investir em caderneta de poupança. Já para os sonhos de médio e longo prazo, prefira Fundo de Investimentos, Tesouro Direto e Ouro. Sugestão esperta: para não esquecer a meta, coloque uma foto no fundo de tela do seu celular que representa seu sonho (A Estátua da Liberdade, o carro do ano…).

2. Na palma da mão

O especialista ressalta: o melhor caminho é anotar todos os gastos do mês – mesmo aqueles mais simples, como o cafezinho. Só assim você saberá o que pode ser cortado. Tome nota de tudo o que gastar (durante 30 dias para quem tem ganhos fixos e 9 dias para quem tem ganhos variáveis) e separe por categoria (luz, água, alimentação, diversão, combustível etc). “Parece estranho, mas depois de começar, isso se tornará um hábito, que permitirá economizar muito”, afirma o especialista. Aplicativos de celular ajudam nesta tarefa. O Moneybook (disponível para iPhone) traz colunas para inserir seus gastos diários (transporte, restaurante, farmácia). No fim do mês, é possível visualizar gráficos comparando seus diferentes gastos. Já o Daily Money (disponível para Android), calcula os gastos diários e mostra onde você está estourando o orçamento.

3. Cuidados no dia a dia

Antes de comprar qualquer coisa, faça esta pergunta a si mesma: “Eu preciso disso?”. Se realmente concluir que é necessário, compare os preços quando for às compras. Seja em lojas, supermercados ou até restaurantes, é fundamental que se faça essa comparação, pois as variações são muitas. Tente também sempre obter desconto comprando à vista. “Cuidado com os finais de semana – e neles que as famílias costumam extrapolar”, alerta Domingos.

4. Contas e poupança em dia

Assim que receber seu salário, tire o que irá poupar para realizar seus sonhos e só então pague todas as contas do mês. Lembre-se: guardar dinheiro só de vez em quando não ajuda. O ideal é fazer da economia um hábito mensal.

5. Corra atrás

Ainda dá tempo de aprender sobre economia. Sites especializados, como BM&FBovespa (www.bmfbovespa.com.br) e Portal do Investidor (www.portaldoinvestidor.gov.br), ensinam a entender o mercado de ações, a investir na bolsa, a fazer uma planilha de orçamento pessoal e a administrar as finanças com mais sabedoria.

Fonte: DSOP Educação Financeira