Benito Pedro Reestruturação Empresarial Logo

2020, ano para reestruturação empresarial e crescimento?

O empresariado brasileiro está mais animado, no último mês de novembro foi apresentado o Estudo Sondagem Conjuntural, do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), com dados que mostram a retomada do otimismo entre os donos de micro e pequenas empresas.

O percentual daqueles que acreditam na melhoria do cenário econômico cresceu de 56% em agosto para 59% em setembro. Ainda segundo o levantamento, seis em cada 10 empresários (58%) têm planos de investir no próprio negócio em 12 meses. Enfim depois de anos de desânimo parece que o cenário se altera e os empresários estão mais otimistas.

Segundo Benito Pedro Vieira Santos, especialista em reestruturação de empresas e diretor da Avante Consultoria, já existem alguns números importantes, que ajudam a entender o que espera para o país. Segundo ele um fato é a expansão do PIB e da renda dos brasileiros que fará do país o 10º maior mercado consumidor do mundo em 2020. Do grupo de países conhecido como BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), apenas a China estará à frente do Brasil.

Em 2017, a economia conseguiu interromper a retração, elevando o PIB em 1% e recolocando o país nos trilhos do crescimento, mantendo quase o nível de 2018 (1,1%). Agora, a promessa da retomada ficou para 2020, com uma previsão de 2,32% de crescimento, segundo o Boletim Macro – Fiscal da SPE, publicado em novembro de 2019 pela Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia.

“O importante é estar atento aos sinais de recuperação que são claros: juros mais baixos da história, diminuição continuada do risco país, queda da inflação, expansão do crédito e retorno da confiança do empresário. Sem deixar de lado o bom senso, é preciso manter os pés no chão: a retomada será lenta e gradual, e não podemos esperar grandes “saltos” nos indicadores”, explica Benito Pedro.

Para os empresários que estão ainda assustados com os resultados dos últimos anos, o especialista da Avante recomenda começar uma reestruturação empresarial e aprender com as falhas que ocorreram anteriormente. Veja alguns pontos detalhados para o portal do Grupo Alliance.

Como adequar empresas que passaram por períodos de dificuldade para aproveitar esse momento mais positivo?

Os gestores precisam saber que “horas são” para eles, ou seja, entender o atual momento financeiro e econômico do seu negócio. É necessário inicialmente a elaboração de um diagnóstico empresarial, ferramenta essencial para uma visão mais ampla, clara e precisa sobre diversos aspectos que envolvem a empresa em sua totalidade. Afinal, informação correta é igual a decisão correta.

É por meio do Diagnóstico Empresarial e sua manutenção periódica que problemas e oportunidades ficam evidentes, possibilitando ao gestor tomadas de decisões estratégicas e assertivas por meio de uma abordagem direta. Elaborando soluções para o que de fato compromete a saúde da empresa. Consequentemente, isso a deixará a empresa mais forte e preparada para enfrentar o mercado cada vez mais competitivo.

O mapeamento de informações para o diagnóstico empresarial é realizado com base em todas as informações da organização, tais como o balanço patrimonial e os demonstrativos de resultados revisados e analisados, bem como demais informações pertinentes à operação do negócio.

Quais os pontos que devem ser levados em contas em uma reestruturação de empresas desse momento?

Reestruturar a empresa é conduzir a um novo patamar de produtividade e rentabilidade, reduzir o custo fixo e variável e utilizar ferramentas de controladoria em busca do ponto de equilíbrio. Esse são alguns dos principais resultados do nosso trabalho. A maioria das empresas, em algum momento da sua trajetória enfrentou ou poderá enfrentar problemas para gerir seu negócio. São percalços e desafios que podem afetar setores cruciais para sua sobrevivência no mercado e diferente do que muitos ainda possam pensar, as dificuldades são comuns principalmente porque os gestores passam grande parte do tempo envolvidos em suas rotinas diárias.

É muito importante entender que não existe uma “receita” pronta a ser implementada no projeto, trata-se de um trabalho conjunto entre diretoria, colaboradores e assessoria contratada, portanto a diretoria tem total conhecimento de tudo o que está sendo elaborado e implementado em sua empresa. É uma união de esforços, uma parceria que tem como único objetivo o sucesso da empresa por meio da evolução gradativa, sólida e constante.

De forma objetiva, o processo padrão consiste em três fases VER, JULGAR e AGIR:

  1. a) VER – elaboração do diagnóstico com a atual situação econômica financeira da empresa;
  2. b) JULGAR – análise criteriosa do diagnóstico e elaboração do plano estratégico de reestruturação;
  3. c) AGIR – implementação do plano em consonância com a diretoria e principais gestores da empresa).

Liste os pontos que a empresa precisa ter claro em uma reestruturação?

Dentre vários motivos para a contratação de uma assessoria empresarial, cito dois que considero serem “troncos” essenciais para a mudança de rumo de sua empresa, fazendo a diferença entre manter um negócio competitivo no mercado ou estar fadado ao insucesso.

1)    Elaboração e análise de um Demonstrativo de Resultados (D.R.E.) com o atual cenário econômico e financeiro da empresa;

2)    Elaboração e implementação do Plano Estratégico de Reestruturação, abrangendo praticamente toda empresa, possibilitando ao empresário corrigir os possíveis erros de gestão e realinhar seu negócio para o caminho da lucratividade.

Como não ter um “voo de galinha”?

Métricas, eis a palavra chave para identificar os pontos de melhorias e as ações que foram tomadas para corrigir os pontos fracos do negócio. Não há planejamento imutável, ao identificar e corrigir os erros, devemos manter as informações atualizadas e analisá-las mensalmente, mensurado os resultados obtidos e fazendo os ajustes necessários para a melhoria constante dos resultados da empresa.